De 16/11/1942 a 16/03/1944

Hipolito de Almeida Mello, nascido em Piraju(SP), em 13/08/1890 filho de Eloy de Almeida Mello e de Virgínia Thereza de Mello. Casou-se com Ignácia Fazzano em 1912 e tiveram 12 filhos: Pedro Eloy, Hypolito Filho, Licínio, Antonia Eloysa, Maria José, Conceição, Prêntice, Martha, Eliphas, Virgínia Thereza, Washington Luiz e Maria Christina. Em 1925, veio para Fartura onde instalou uma tipografia, exercendo essa atividade por vários anos. Em 25.07.1927 foi nomeado Procurador da Câmara Municipal; ingressou na Prefeitura em 05.02.1931 ocupando o cargo de Secretário. Formou-se contador, e em 02.03.1933 foi nomeado para exercer essa função. No período da Revolução de 1932, respondeu como Prefeito, pela Prefeitura; fase bastante crítica e difícil, onde tudo era racionado, com um controle rígido pelo Estado. Como o município e limítrofe do Estado, havia o perigo de invasão dos gaúchos; dessa forma, o clima reinante era bastante tenso, e muitos se refugiavam como podiam, e alguns até saíam da cidade abandonando suas residências. Com o final da Revolução, a situação foi voltando ao normal, reiniciando as atividades prejudicadas pela Revolução. Foi nomeado Prefeito Municipal, no período de 16.11.1942 a 16.03.1944 pelo Dr. Fernando de Souza Costa, Interventor Federal no Estado de São Paulo, nomeação essa publicada no Diário Oficial de 03.12.1942. Exerceu a função de Prefeito Municipal, por diversas vezes. Naquela época não havia recursos disponíveis do Estado, e tudo que se fazia de benfeitorias no Município, era com ajuda da população. Tinha uma preocupação muito grande com o saneamento, tanto que deu uma atenção especial a um local onde só havia brejo e perigo de contaminação; lá foram plantados vários eucaliptos e árvores, diminuindo assim a umidade do lugar, transformando-o no que passaram a chamar "Bosque", podendo então ser freqüentado normalmente pelas crianças; hoje localizado no quarteirão do Banespinha. Na epidemia de malária, que assolou o Município, na época de sua administração, foi criado um hospital de emergência , para atendimento aos doentes, pois não havia hospital no município. Terminando o período de nomeação, voltou a exercer a função de contador que ocupava anteriormente. Após sua aposentadoria, exerceu várias atividades, sendo também provedor da Santa Casa de Misericórdia. Sua vida foi norteada na espiritualidade, e com a aposentadoria, pode também se dedicar mais profundamente nesse assunto, que desde a mocidade exercia sobre ele um certo fascínio. Cidadão íntegro em todos os aspectos, homem trabalhador, honesto, enérgico e de moral elevada. Faleceu em Fartura 19.09.1974, com 84 anos de idade, e como exemplo de vida, deixou-nos a força de vontade e a determinação para vencer os obstáculos.